Sonho da maturidade: casa acolhedora e charmosa em Goiânia

Uns chamam de Goiás Velho. Outros, de Cidade de Goiás. Alguns, de terra de Cora Coralina. Ela já foi chamada de Vila Boa de Goiás e sob qualquer denominação, é uma das cidades históricas mais impactantes e importantes do Brasil, tombada como Patrimônio Mundial pela Unesco. E é berço da família formada por um casal que, por muitos anos, alimentou um sonho: construir uma casa ampla, moderna, mas, também, acolhedora e charmosa, em Goiânia, onde foram viver depois de muitos anos de união.

Tendo criado os filhos numa casa modesta e bem pequena na Cidade de Goiás, conseguiram realizar o sonho da nova morada já na maturidade, e procuraram, para materializar esse ideal, o escritório Tati Tavares+Alex Dalcin Arquitetos, da capital goiana. Tati Tavares conta que o casal, apesar de ter por volta de 60 anos, tem a alma muito jovem. “Eles amam viajar, saem de moto por aí, gostam de receber, são realmente muito alegres e de bem com a vida”, descreve ela. “E queriam uma casa para o convívio com os filhos, os netos, para compartilhar momentos juntos, apesar de morarem só os dois. A casa foi concebida para ser o QG da família”, resume a profissional.

Esses desejos foram viabilizados por um projeto de conceito rústico, mas com modernidade, conforto, praticidade e, principalmente, muita integração entre os ambientes. “É uma casa pensada para as pessoas se reunirem e estarem sempre juntas. Desde a porta de entrada você já visualiza outros ambientes. Onde quer que você esteja, na sala, na cozinha, na churrasqueira, você sempre estará conectado a outras pessoas”, explica ela.

 

Rusticidade e história

Para honrar a memória afetiva da família da Cidade de Goiás, que esbanja tradição e história, Tati e Alex especificaram, entre os acabamentos, o revestimento Brick Terracota e o piso Cotto Vecchio, ambos produtos da Nina Martinelli, adquiridos na revenda goiana Vivá Revestimentos.

Produzido artesanalmente e com componentes reciclados em sua fórmula, o Brick Terracota, uma faceta muito caprichada dos tradicionais tijolinhos, proporciona rusticidade e elegância a paredes internas e externas, e nesse projeto, Tati e Alex escolheram assentar em amarração 50/50 o revestimento em toda a fachada do imóvel, na churrasqueira, e também na parede de acesso à entrada principal.

 

Já na calçada, toda a frente do imóvel recebeu em paginação alinhada o piso Cotto Vecchio Nero, que Tati e Alex, além de vários outros arquitetos e clientes, chamam carinhosamente de “lajotinha”.  “A gente gosta demais desse produto, porque ele lembra as lajotas usadas antigamente em muitas casas históricas e, ao contrário de outros materiais que se desgastam de uma forma estranha, ela fica mais e mais bonita com o uso. Dá um aspecto rústico, porém moderno”, descreve a profissional.
Feito em cerâmica natural e disponível em várias medidas, o Cotto Vecchio passa por processos de queima e envelhecimento que resultam em um material com alto grau de singularidade e é disponibilizado nas corres Nero, Rosso, Paglia e Sfumato.

Ambos os produtos, segundo Tati Tavares, renderam resultados acima do esperado. “O efeito foi muito bonito, a aplicação foi simples e tanto os clientes como nós amamos o resultado final”, conclui.



Projeto: Tati Tavares+Alex Dalcin Arquitetos  @tatitavaresalexdalcin
Brick Terracota + Cotto Vecchio Nero
Fotos: Luciano Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *