Edifício icônico ganha área de convívio revitalizada com Cotto Vecchio Nero

Construído nos anos 1980, o primeiro prédio de apartamentos de alto padrão da cidade recebeu intervenção que modernizou espaços comuns, sem agredir seu estilo característico

Nos anos 1980, quando o Edifício Francisco Assis Moura começou a ser erguido em Bauru – já na época uma importantíssima cidade no centro do Estado de São Paulo, a obra deu o que falar.
Também, pudera, tratava-se de um imóvel que representava o divisor de águas no mercado local, pois era o primeiro prédio de apartamentos de alto padrão a ser lançado na cidade. Além disso, as características impressionavam: apartamentos com até 390 m², 4 dormitórios, sendo duas suítes, linhas contemporâneas, sacadas espaçosas, amplas áreas de convívio, tudo numa única torre, com localização privilegiada – o Jardim Paulista, próximo à famosa avenida Nações Unidas e também não distante do Centro.

Batizado com o nome do engenheiro que o projetou, o edifício logo foi carinhosamente apelidado de “Chicão” e seus primeiros moradores eram jovens famílias de classe média-alta que buscavam conforto, segurança e a tranquilidade de um imóvel bem construído. O tempo passou, muitas famílias continuaram a viver no prédio, onde tiveram e criaram seus filhos, que por sua vez, se casaram e passaram a frequentar o local com nova gerações – muitos netos dos moradores originais.

A necessidade de revitalizar alguns espaços do prédio se tornou inquestionável. Uma primeira etapa da obra já havia sido feita, mas não contemplara áreas de convívio.
Para esses espaços, numa segunda etapa de trabalhos, foi acionada a equipe da arquiteta Joice Pretel, do escritório Joice Pretel Arquitetura, também de Bauru.  Priorizando materiais com aspecto e texturas naturais, a profissional deu cara nova a áreas de convívio do “Chicão”, criando ambientes leves, convidativos e repousantes.

Um dos resultados mais impressionantes, pela harmonia e aconchego, fica sob um grande pergolado de madeira, em que um muro de pedras e uma divisória verde compõem muito bem com mobiliário de design limpo e arrojado, mas com muita leveza. Um terraço externo com espaço fogo acomodado num volume de destaque, recebeu bancos em madeira, cercamento natural que dá privacidade e confere frescor aos dias mais quentes, que são comuns em Bauru.

Base natural

Para harmonizar todas essas intervenções com uma base bem orgânica, Joice Pretel escolheu o piso Cotto Vecchio Compose Nero, da Nina Martinelli. Foram utilizados cerca de 300 m² do produto.
Oferecido nas dimensões desde 5×5 até 24 x 24 cm, o Cotto Vecchio Nero é feito em cerâmica natural, com variações na tonalidade típicas de materiais cerâmicos.
Assim como os demais pisos da Colezione Eleganza, o Cotto Vecchio  Nero confere sofisticação aos ambientes, sejam eles internos ou externos. A paginação com as dimensões disponíveis eleva o grau de diferenciação, tornando o ambiente inigualável.

Essas características levaram Joice Pretel a escolher o produto. “Essa obra era um desafio pra nós, porque trata-se de um prédio com história, simbólico na cidade. Queríamos materiais naturais, que renovassem os ambientes de convívio, mas sem serem agressivos, intrusos. Daí a escolha do Cotto Vecchio Nero, que além de trazer toda essa naturalidade, nos permitiu, com seus formatos variados, fazer uma paginação diferenciada, com resultado muito bonito e agradável”, diz ela.

O piso foi adquirido na loja Ecoportinari, loja de uma rede que só inclui em seu portifólio as mais celebradas marcas em pisos e revestimentos.


 


Edifício Residencial Francisco Assis Moura – Chicão – Bauru SP
Revitalização de áreas de convivência
Cotto Vecchio Nero
Projeto: Joice Pretel Arquitetura @joicepretelarquitetura
Fotos: Marília Piotto – @marilia.piotto para @ecoportinari

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *